Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

28/10/2014 - 11h23

Celular no ambiente de trabalho: use com bom senso

Da redação Emprego Certo

Você está lá em sua estação de trabalho quando ouve um passarinho conhecido assobiar. Quem é ele? O sinal mais famoso do mundo de notificações de celular. E então você para o que está fazendo para verificar que acontecimento importante está necessitando de sua atenção. Ou então, o celular do seu colega toca e ele atende no meio de todos sem se preocupar com a privacidade da conversa ou com quem não está interessado em ouvi-la.

Mas daí fica a dúvida, é aceitável usar o celular no trabalho para motivos pessoais? A resposta de Ricardo Fonseca, especialista em Recursos Humanos, é enfática: “Sim, é totalmente aceitável que o profissional faça ligações particulares ou acesse aplicativos ou redes sociais no local de trabalho. Hoje em dia estas práticas estão totalmente inseridas na rotina das pessoas. O aparelho celular é um centro de serviços individuais indispensável”.

As pessoas já não se imaginam mais sem o uso desse aparelho “mágico”, mas é preciso ter bom senso.

 

“É o meu ou é o seu?”

Ricardo destaca que o abuso do uso do celular pode gerar muitos pontos negativos no ambiente de trabalho, tais como:

Queda de produtividade: o profissional que fica muito tempo no celular tem baixa produtividade e esse comportamento é incompatível com os objetivos da empresa.

Sigilo e segurança da informação: graças à popularização do "selfie" e das redes sociais que suportam fotografias, os segredos empresariais, como projetos, correm o risco de ficarem expostos. Cabe às empresas protegerem suas informações e imagens.

“Tenha certeza que quando você perceber que o seu interesse pelas atividades são menores do que sua vontade de manusear o celular, o seu chefe já percebeu há tempos. Portanto, fique atento! Não se distraia mentindo para si mesmo que são apenas alguns minutos. É muito fácil para a liderança perceber quedas de produtividade ou desinteresse”, explica Ricardo.

 

Usando bem, que mal tem

As práticas do tão esquecido bom senso devem ser aplicadas neste caso, e o ideal é que o profissional deixe seu celular no modo silencioso – “Não há nada que irrite mais do que aqueles ringtones eletrônicos repetindo em alto volume. Depois disso, ter o bom senso de se deslocar de sua mesa de trabalho nos instantes que precisa falar ou teclar com alguém. É sempre bom ressaltar que isso não deve consumir muito tempo”, sugere Ricardo.

O profissional deve ter em mente a consciência de seus prazos, suas entregas, suas reuniões, compromissos e sua produtividade. Acima de tudo, não deixar que um aparelho que veio para economizar tempo acabe roubando a produtividade no trabalho.

 

“O celular aproxima quem está longe e distancia quem está perto"

Quando você se fecha na grande bolha da tecnologia que o celular proporciona, você acaba deixando de ver o mundo a sua volta. Muitas organizações valorizam competências como relacionamento interpessoal e comunicação, e o uso contínuo e excessivo do celular para fins particulares claramente prejudica o desenvolvimento dos comportamentos ligados a estas competências.

Tente vivenciar o seu trabalho da melhor maneira possível e tenha em mente a importância da sua função e do relacionamento que precisa manter com seus colegas de trabalho.  Olhando a todo tempo para o celular você pode perder muita coisa, até quem sabe uma promoção...

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail